13 janvier 2013

Tô por aí - Paulo César Pinheiro

Tô por aí  (Eduardo Gudin - Paulo César Pinheiro)Tõ sempre por ai,vendo que tudo está fora de lugarcom malandro a fim de bulir no meu gantois.E é por isto queeu tô sempre por aí,vendo a mentira que hátendo que cruzarcom malandro a fim de me engulir,sem me garantir no seu patuá.E é por isto que não dá,é melhor lutar do que fugir,tem é que parar com isto que tá aimesmo que você achando que não dá,vá querer desistirsó não me deixa o malandro insistir,não deixa a peteca cairque eu tô sempre por ai. Eduardo Gudin,Márcia et Paulo... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 00:14 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , ,

01 janvier 2013

Mente - Paulo Vanzolini

Mente  (Paulo Vanzolini - Eduardo Gudin)Mente, ainda é uma saída,é uma hipótese de vida,mente, sai dizendo que me ama.Mente, espalha essa fama,me chama de meu amor constantemente,no meio de toda gente e a sósentre nós dois, mente.Mente, para dar um novo início,ninguém liga a sacrifícioquando ele é o único meio.Pois na mentira, meu amor,Crer eu não creio,só pretendo que de tanto mentir,repetir que me ama,você mesma acabe crendo. Cristina Buarque qui "embrasse la mente" de Paulo Vanzolini:tout un symbole...... Paulo Emílio... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 00:49 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , , , ,
30 décembre 2012

Neo-Brasil - Eduardo Gudin

Neo-Brasil (Eduardo Gudin)Brasileiro como euquando o carnaval chegartem o mundo pra sonharnas cores das escolas.Brasileiro como eumede força desigualno samba de um planeta que encolheu.Mesmo assim brilha porquebatem palmas pra valer,pois é sempre um grande atorno palco da comédia,todo ano o samba saisão 500 pra inglês ver,Darcy Ribeiro disse que eu sou mais.Sim, eu sou brasileironão tenho pena de mim,É que eu sou mandingueiro,é que eu vou rir no fim.Eu sei, eu canto assim porqueo samba é como a vida,é sempre alegre e triste ao mesmo... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 07:52 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags :
26 décembre 2012

Olha quem chega - Eduardo Gudin

Olha quem chega  (Eduardo Gudin - Paulo César Pinheiro)Olha quem chega,que grata surpresa!Aceite a minha mesa, a minha cama, o meu amore seja aceito você que abandonou.Entra que é tardee fica a vontade,meu samba de saudades veio dar as boas vindas,perguntar pelas novidades.Guarda os seus panos aquie os desenganos em qualquer lugar,O perdão que você vai pedir,não peça não que ele está onde eu sempre estou.Poeta não sabe guardar desamor!Poeta não sabe guardar desamor!Olha quem chega... Eduardo Gudin et Paulo César Pinheiro ... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:20 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , ,
13 décembre 2012

Veneno - Eduardo Gudin

Veneno  (Eduardo Gudin - Paulo César Pinheiro)Mas o que me faz chorar,é esse fel que você vive a destilar,é essa a paga cruel que você me dá.Só o melhor meu coração te ofereceu,você cuspiu no prato que comeue o mal que isso me faz,não esperava isso de você jamais.Eu não sabia que você podia ser capazde alguém pedir a mão e receber,depois vingar em vez de devolver.Dei o manto pra quem vai me desnudare em meu canto abriguei quem vai me expulsar.Eu te dei de beber,no mesmo copo você vai me envenenar. Eduardo dos Santos Gudin... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:12 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , ,
09 décembre 2012

A velhice da porta-bandeira - Paulo César Pinheiro

A velhice da porta-bandeira  (Eduardo Gudin - Paulo César Pinheiro)Ela renunciou,a Mangueira saiu,ela ficou.Era porta-bandeiradesde a primeira vez,por que terá sido isso que ela fez?Não, ninguém saberá,ela se demitiu,outra virá,ninguém a viu chorando,coisa tão singular,quando a bandeira tremeu no ar.Ô... quando toda avenida sambou,o seu mundo desmoronou.Ela se emocionou,perto dela ela ouviu,alguém gritou:"Viva a porta-bandeira","Sou eu", ela pensoumas foi a outra quem se curvou!Ô... quando toda avenida sambouO seu mundo... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 07:53 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,

29 novembre 2012

Vida dá - Eduardo Gudin

Vida dá  (Eduardo Gudin)Quantas vezes, nem sei, eu quis na sorte mandar,fiz promessa de rei, que é pra nunca quebrarmas quebrei outra vez e quantas vezes serãoaté eu saber: vida dá lição.E se ter humildade é bomaprender que dá pra viver sem amor e com,o destino é a brisa se a gente seguir,tormenta se a gente teimar,precisa saber se deixar levar.Quem espera o que nunca vemquer guiar a vida, a vida não diz "amém"mas ela convida se a gente ficar espertoe reconsiderar é certo que a vida vai mais além.Quantas vezes, nem sei, eu quis... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:15 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags :
13 novembre 2012

Ainda mais - Eduardo Gudin

Ainda mais  ((Eduardo Gudin - Paulinho da Viola)Foi como tudo na vida que o tempo desfazquando menos se quer.Uma desilusão assimfaz a gente perder a fée ninguém é feliz, viu,se o amor não lhe quer.Mas enfim, como posso fingire pensar em você como um caso qualquer?Se entre nós tudo terminou,eu ainda não sei mulhere por mim não irei renunciarantes de ver o que não vi em seu olhar,antes que a derradeira chama que ficounão queira mais queimar.Vai, que toda verdade de um amor,o tempo traz.Quem sabe um dia você volta pra mime amando... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:23 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , ,
13 octobre 2012

Pra tirar você do sangue - Paulo Vanzolini

Pra tirar você do sangue  (Paulo Vanzolini - Eduardo Gudin)Pra tirar você do sangue eu fiz, contra você, um samba novo;pra tirar você do sangue eu fiz, contra você, um samba novo;não quero que o povo entenda;não sou homem de desculpas,nem me preocupa que você aprenda o bem viver.Quanto a mim, já se conhece bem,já estou bem velho pra aprender.O meu problema é bem pequeno, não se zangue,é só tirar o seu veneno do meu sangue.O meu problema é bem pequeno, não se zangue,é só tirar o seu veneno do meu sangue.Mas se o samba não der... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:16 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
10 septembre 2012

Samba de mágoa - Eduardo Gudin

Samba de mágoa (Eduardo Gudin)Depois eu viQue não podia mais ficar assimFeliz demaisSem perceber que era enganadorCresciam dores por detrás do amorQuebrando o vazo de jasmimAnunciando a toque de clarimTempo ruim, desoladorDepois eu viNão era tanto pra desesperarE consentiAo coração de novo apaixonarMesmo que seja pra depois sofrerAgora é hora de cantarUm samba novo, um jeito popularDe desaguar o padecerSem se arrependerOlhando a vida sem olhar pra trásDizendo tudo o que a gente quer dizerNum samba de mágoa que a mágoa se desfaz. ... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:05 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,