16 décembre 2012

Além do espelho - João Nogueira

Além do espelho  (João Nogueira - Paulo César Pinheiro)Quando eu olho o meu olho além do espelho,tem alguém que me olha e não sou,vive dentro do meu olho vermelho,é o olhar do meu pai que já morreu.O meu olho parece um aparelhode quem sempre me olhou, protegeu,assim como meu olho dá conselhoquando eu olho no olhar de um filho meu.A vida é mesmo uma missão,a morte é uma ilusão,só sabe quem viveupois quando espelho é bom,ninguém jamais morreu.Sempre que um filho meu me dá um beijo,sei que o amor do meu pai não se perdeu,só de olhar... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 01:16 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,

06 novembre 2012

Partido rico - João Nogueira

Partido rico (João Nogueira - Paulo César Pinheiro) Na Lagoa tem,Um peixe dourado, meu bemA lagoa tem,O fundo encantado.Eu vou morar na Lagoano apê do Sérgio Dourado,Rua Epitácio Pessoa,em frente ao parque e ao pradoe eu vou viver à toatomando meu chope geladosó eu e a minha patroae meu garoto levado.Na Lagoa tem,Um peixe dourado, meu bemA lagoa tem,O fundo encantado.Quem mora ao pé da Lagoatem sempre o amor do lado,lá só mora gente boaem casa de avarandado,de noite a viola soatocando um samba inspirado:É o Chico Buarque que entoae,... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:16 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
17 septembre 2012

Identidade - Ederaldo Gentil

Identidade (Ederaldo Gentil)05342635 é o meu número o meu nomeMinha identidadeMinimo salário é o meu ordenado12 horas de trabalhoQue felicidade, que felicidadeAcordo sem dormirFaço pelo sinalOuço o radinho de pilhaPra saber do horárioPreparo quase nadaE levo na marmitaVou dependurado e os sinais fechandoChego atrasado, é cortado o diaSão tanto os descontosQue nem mesmo seiMe falam de vantagens que eu jamais ganheiÉ o INPS, FGTSIRSS, o seguro e o PISCom trinta de trabalhoEstou aposentadoE com mais de 70Eu penso ser feliz. Ederaldo... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:09 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
31 août 2012

E lá vou eu - João Nogueira

E lá vou eu   (João Nogueira - Paulo César Pinheiro)E lá vou euMelhor que mereçoPagando a bom preçoA evoluçãoAi, se não fosse o violãoE o jeito de fazer sambaDo tempo que quem faziaFugia do camburãoHoje não foge nãoHoje o samba é decenteE ninguém agüenta, oh! genteA força de um samba não.Pois que faz samba, falaE a quem fala, atenção:Força nenhuma calaA voz da multidão.E cantar ainda vai ser bomQuando o samba primeiro,Não for prisioneiroDesse desesperoE resignaçãoE lá vai minha vozEspalhando entãoO meu samba guerreiroFiel... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:08 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
14 août 2012

Canto do trabalhador - João Nogueira

Canto do trabalhador (Paulo César Pinheiro - João Nogueira)Vamos trabalhar sem fazer alardePra pisar com força o chão da cidadeA vida não tem segredoQuem sentado espera a morte é covardeMas quem faz a sorte é que é de verdadeÉ só acordar mais cedoÉ só regar, pra alimentar o arvoredoPor essa luta eu não retrocedoPra ver toda a mocidadeCom os frutos da liberdadeEscorrendo de entre os dedosQue é pra enterrar de uma vez seus medosSe não mudar, o barco bate no rochedoE vai pro fundo como um brinquedoÉ bom cantar a verdadePro povo de uma... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:04 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
03 août 2012

Positivismo - Noel Rosa

Positivismo  (Noel Rosa-Orestes Barbosa) A verdade, meu amor, mora num poçoÉ Pilatos lá na Bíblia quem nos dizE também faleceu por ter pescoçoO infeliz autor da guilhotina de Paris.Vai, orgulhosa, queridaMas aceita esta lição:No câmbio incerto da vidaA libra sempre é o coração.O amor vem por princípio, a ordem por baseO progresso é que deve vir por fimDesprezastes esta lei de Augusto ComteE fostes ser feliz longe de mim.Vai, coração que não vibraCom teu juro exorbitanteTransformar mais outra libraEm dívida flutuante.A intriga... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:12 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,

13 juillet 2012

Dia de azar - João Nogueira

Dia de azar (João Nogueira - Paulo Valdez)Tentei acender um cigarroIsqueiro falhouHoje é dia de azarFui passear no meu carroPneu furouHoje é dia de azarComprei um ingresso pro jogoMas estou com medo de chegar pra láPois hoje quem joga é o MengoE já estou sabendo que vai apanharA televisão tá pifadaO ventilador não ventila mais nãoFui esquentar o almoçoQueimei todo o meu feijãoAo olhar para a folhinhaEncontrei a explicaçãoÉ sexta, é trezeCruz credo três vezesÉ dia de azarEu não saio mais não. João Nogueira est né le 12 novembre... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:19 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags :
26 juin 2012

O grande Presidente - Padeirinho

O grande Presidente (Padeirinho)No ano de mil oitocentos e oitenta e trêsNo dia dezenove de AbrilNascia Getúlio Dorneles VargasQue mais tarde seria o governo do nosso BrasilEle foi eleito deputadoPara defender as causas do nosso paísE na revolução de trinta ele aqui chegavaComo substituto de Washington LuisE no ano de mil novecentos e trinta pra cáFoi ele o presidente mais popularSempre em contacto com o povoConstruindo um Brasil novoTrabalhando sem cessarComo prova em Volta Redonda, cidade do açoExiste a grande siderúrgica... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 05:18 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : , ,
20 juin 2012

Iô-Iô - João Nogueira

Iô iô  (João Nogueira - Paulo César Pinheiro)Iô iô você exalta a Bahiaporém nunca mais por lá ficoue deu pra falar mal do Rio morando aos pés doredentorAté que no início você parecia que era um bom rapazMas com essa mania de estar todo dia em jornal: Falou demaisiô iô olha o homem que é homem não muda que nem vocêmudouNão cospe no prato que comenem vai contra o povo que o sagrouem que casa de marimbondo você foi mexer porque é faladore agora só vai ser chamado de iô-iôiô iô que arapuca você colocou a carroça na frente dos boise... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 16:48 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,
02 juin 2012

O maior castigo que eu te dou - Noel Rosa

O maior castigo que eu te dou  ( Noel Rosa)O maior castigo que eu te douÉ não te baterPois sei que gostas de apanharNão há ninguém mais calmoDo que eu souNem há maior prazerDo que te ver me provocar.Não dar importânciaA sua implicânciaMuito pouco me custouEu vou contar em versosOs teus instintos perversosÉ este mais um castigoQue eu te dou.A porta sem trancaTe dá carta brancaPara ir onde eu não vouEu juro que desejoFugir do seu falso beijoÉ esse mais um castigoQue eu te dou. Noel Rosa,de son vrai nom Noel de Medeiros Rosa... [Lire la suite]
Posté par Alain1881 à 22:35 - Commentaires [0] - Permalien [#]
Tags : ,